Nao mexe

No funeral de um português operário, um homem, desconhecido da família, chora muito. A mulher do falecido se aproxima e pergunta:
– Era seu amigo?
– Era…snif!
– E gostava de você?
– Demais. Suas últimas palavras foram para mim, ó pá…
– Ah, é? E quais foram?
– Manél, não mexe no andaaaaime!